Esporte

MP vai investigar acidente no Itaquerão e pode pedir paralisação das obras

Inquérito civil já investigava segurança do estádio e o entorno da arena

Postada em: 27/11/2013 19h23m
O Ministério Público, por meio da Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo de São Paulo, já avisou que irá investigar as causas do acidente nas obras do Itaquerão. A queda de um guindaste (utilizado para transporte de carga pesada), no começo da tarde desta quarta-feira (27), destruiu parte da estrutura do novo estádio do Corinthians e provocou duas mortes.

Segundo o MP, já existia um inquérito civil instaurado para investigar a construção do estádio em Itaquera, na zona leste de São Paulo, "tanto sob o aspecto da segurança da edificação quanto dos impactos no entorno". Agora, o promotor José Carlos Freitas vai solicitar laudo da Polícia Científica para "avaliar as medidas a serem adotadas".

Em nota, o MP informa que "requisitará laudo para apontar as causas (do acidente) e eventual comprometimento na estrutura da construção que possa colocar em risco a integridade física e a vida dos futuros frequentadores". Dependendo do resultado dessa análise técnica, o promotor admite a possibilidade de pedir a paralisação das obras do Itaquerão.

Antigo sonho corintiano, o Itaquerão começou a ser erguido em maio de 2011 pela construtora Odebrecht, com um orçamento de R$ 820 milhões. Escolhido como a sede de São Paulo, o estádio receberá seis jogos na Copa de 2014, incluindo a abertura. As obras seriam entregues até o final de dezembro, mas, com o acidente desta quarta-feira, deve haver atraso.


Parte do estádio está interditada

Frederico Barbosa, engenheiro que é gerente operacional da Odebrecht, confirmou nesta quarta-feira (27), em entrevista coletiva, que "extraoficialmente" 30% das obras do Itaquerão estão interditadas depois da tragédia que provocou a morte de dois operários, no início desta tarde, em São Paulo.

Gerente da obra do estádio que abrigará a abertura da Copa de 2014, Barbosa assegurou também que a estrutura do local atingida pela queda do enorme guindaste de 500 toneladas "não sofreu nenhum comprometimento". "Houve danos na parte do prédio, mas nada que comprometa a segurança da estrutura", avisou.

O engenheiro também assegurou que os procedimentos para operação do guindaste que despencou estava sendo feita de forma correta. "O procedimento estava em evolução, nada fora do que estava programado. Esperamos o momento ideal para a operação, tinha parado de chover, as condições estavam boas", disse Barbosa, para mais tarde enfatizar que participou diretamente deste processo. "Eu mesmo verifiquei as condições de vento, de temperatura, não estava chovendo, então temos que aguardar a perícia para termos o parecer final sobre o que houve", completou.

Barbosa também garantiu que não havia risco de o guindaste ter sido operado por um profissional sem as qualificações necessárias. "Esse guindaste é operado pela empresa, são operadores capacitados, através de comunicação, com segurança. Tudo será apurado através de perícia, mas tudo foi feito conforme as normas e procedimentos", disse.


Sede da abertura da Copa

A Arena Corinthians foi escolhida em 2011 para sediar a abertura da Copa de 2014, pouco depois do início das obras. A entrega está prevista para dezembro deste ano. As coberturas dos edifícios oeste e leste estão praticamente concluídas, restando apenas aplicação no forro.

Com cerca de 1.500 trabalhadores, a arena já tem 94% das obras concluídas. Arena Corinthians abrigará seis partidas da Copa do Mundo de 2014. Além da abertura, a futura casa alvinegra receberá também quatro jogos da primeira fase, um das oitavas e uma semifinal.

ARENA CORINTHIANS
  • Foto: Reprodução/Twitter
  • Fonte: Estadão Conteudo
  • Postador: Edson Gilmar

Digite o codigo abaixo:

Recarregar imagem

Publicidades Surgiu-154